Reflexão Recursiva

Muitos de vocês devem imaginar porque diabos eu escrevo esse monte interminável de sandices nesse singelo blog. Ou pior ainda: Vocês imaginam que qualificação eu tenho para muitas vezes criticar e atacar o comportamento de entidades amplamente conhecidas e bem sucedidas no mercado de jogos eletrônicos. Esse post tem o objetivo de esclarecer isso. Ou pelo menos fracassar miseravelmente tentando.

Inicialmente sou um jogador. De passar 3 meses jogando 12-16 horas por dia. Eram diversos jogos e eu os jogava muito, ou pelo menos todo tempo que eu podia. Hoje em dia especificamente, como as coisas estão apertadas e o mercado está deficiente de títulos dos quais eu gosto, estou jogando bem menos. Não quer dizer que gosto menos dos jogos ou de jogar. Apenas que estou jogando menos. E nos últimos cinco anos joguei muito mais que nos outros anos anteriores juntos, por questões logísticas complexas envolvendo disciplina escolar que não vem ao caso.

Em segundo lugar eu sou um desenvolvedor independente de games. Utilizando os conhecimentos adquiridos durante meu curso ainda não concluído em Ciências de Computação, e longas horas por conta própria, eu aprendi o suficiente para começar a tentar a programar meus próprios jogos. Depois de muitos projetos que morreram com algumas dezenas de linhas de código e nada mais (porque afinal de contas não só de código se faz um jogo) estou concluindo meu primeiro jogo com foco comercial. É uma versão melhorada, aprimorada e incrementada do jogo que participou do concurso Arena Info em 2009, conhecido carinhosamente e comercialmente pelo nome de BoxBall. Em cerca de dois meses no máximo saberei o quão bem sucedido ele será. E conto com vocês!

Boxballs, balls, balls, balls... balls of Steel!
Colocando o discurso motivacional para beneficio próprio de lado, eu vos falo como um igual acima de tudo. Quem nunca quis fazer um jogo que não existe ainda? O que geralmente falta é conhecimento técnico ou tempo para construí-lo. Eu aproveitei uma oportunidade para tentar. E não pretendo parar agora. E desenvolver um game é um desafio intelectual e disciplinar de grande porte. Cheguei a ficar 14 horas por dia trabalhando no BoxBall na primeira semana do seu desenvolvimento. Mas a verdade é que a partir do momento em que você não depende disso para viver não existe motivo para fazê-lo alem de pura realização pessoal. Então apesar de minha inexperiência eu gosto de fazer meus jogos esporadicamente.

Então no fim das contas eu escrevo porque gosto, aproveitando as idéias loucas que vem a minha cabeça de alguma forma para divulgar parte do meu trabalho. E porque eu não sei desenhar. Se soubesse eu desenharia para representar minhas idéias. Mas eu aprendi a escrever, mesmo contra minha vontade (na época eu não tinha vontade própria, e fazer um drama sempre rende uma polêmica, não?) então vou tentar transmitir minhas idéias pela escrita. Principalmente pela escrita de código, que é tanto uma questão de inspiração quanto de conhecimento. Então se você quer fazer um jogo estude e se inspire! Se quer jogar aguente firme que teremos novidades logo. Ou não ;-).

2 comentários:

  1. Thiago disse...:

    Safadinho, borrou o código!!! hehehehehehehehe

    Mas falando sério, acho importante expressar suas ideias, tanto no blog (que ficou muito chique com o design novo XD) como em jogos. Mas muitas vezes, como você disse, é difícil um projeto deslanchar e ir longe como o Boxball foi. Pra isso eu acredito que além de disciplina, conhecimento técnico e a ideia/inspiração, tem que haver o componente interpessoal... O que eu quero dizer pode ser explicado de maneira simples: Você se dispõe a correr todos os dias, corre uma ou duas semanas depois pára. Se você fizer isso com um amigo, os dois podem correr um ou dois meses antes de perder o pique. E se você fizer parte de uma equipe ou grupo de corredores, pode ter animo para ir muito longe. Claro que só as outras pessoas não vão fazer você chegar longe; Mas quando o seu ideal coincide com o ideal de varias pessoas e há uma reunião para por esse ideal em pratica, toda vez que se faz isso em conjunto o ideal de todos é reforçado, fortalecido. Então mesmo um desenvolvedor independente pode ter sua determinação fortalecida quando mostra seu trabalho para outras pessoas e elas gostam e reconhecem o que ele fez; e se ele tiver fãs, talvez isso fortaleça-o ainda mais. É como se relembrasse quem ele é.

    Então estou aqui para dar meu apoio ao blog e ao nosso querido Boxball, e dizer que reconheço seu trabalho (que pode ter sido bem des-motivacional nos últimos tempos, dado em conta que você tem trabalhado, de certa forma, sozinho). Acredite em você, tenha foco nos seus objetivos e você vai longe menino!!! hauhauhaua

    Um abraço do pano!

  1. Cmdr.Edem disse...:

    As variáveis do código acima pediram para terem seus nomes censurados por motivos de segurança. :P

    Valeu pela mensagem Pano. E a verdade é que mesmo estando sozinho na sala nunca estou sozinho no projeto!

Postar um comentário

 
Nuclear Core Studios © 2010 | Designed by Trucks, in collaboration with MW3, Broadway Tickets, and Distubed Tour. Customizado por Bruna Lanzillotta.