Eve Online: O Colonizador

"A descida em um planeta novo pode ser traumatizante. Principalmente quando a superfície deste é arrasada frequentemente por tempestades com gases tão quentes que este passa a ser considerado plasma. O solo de cor escura é resultado de milhões de anos de queimaduras provocadas por esses gases. E mesmo nestes planetas tão inóspitos existem riquezas.

Para alguém que passou boa parte dos últimos 3 anos dentro de uma cápsula cheia de um fluido nutritivo, conectado a computadores e sondas para comunicação e alimentação, enfrentou dezenas de inimigos, teve seu corpo implodido mais de uma vez pelo vácuo do espaço sideral, sentiu milhares de vezes a aceleração insuportável dos motores de dobra e teve sua consciência enviada por dezenas de anos luz por opção própria para um clone novo em folha a oportunidade de descer em um planeta pode parecer trivial. Mas isso apenas se tornou possível recentemente. Alem do mais quando falo em descer a um planeta, me refiro apenas a centros de comando disparados contra o planeta de meu cargueiro classe Iteron III. Estes então são construídos por entidades mecânicas e tripulação especializada nesse tipo de tarefa. Meu papel nessa empreitada é financiar e administrar a tarefas das maquinas e homens de milhares, ou até milhões de quilómetros do planeta em questão.

Mas tudo isso é uma versão muito romântica do que faço. A verdade é que o universo onde vivemos precisa de gente que faz o que eu faço. Muitas vezes os grandes guerreiros em gigantescas naves capazes de virar o rumo de uma campanha não teriam seus grandes Titans sem gente como eu. Gente como eu que passa horas despedaçando cinturões de asteróides ou administrando as bases planetárias capazes de minerar e processar os recursos exigidos para a construção de uma nave capital. Claro que recebemos nossa parcela de reconhecimento, em um formato muito apreciado, os créditos.

De qualquer forma, agora as linhas de suprimento podem ser devidamente abastecidas internamente, sem ter que contar com sistemas automatizados, sujeitos a falhas, atrasos, bloqueios dos portais de dobra e guerras inacabáveis. E tudo ao alcance de todos interessados em arriscar e fazer o melhor possível para conquistar um pedaço de terra valiosa nesse grande universo centrado no portal de EVE"

1 comentários:

  1. Rafael Costa disse...:

    Eu não sei o que acontece, mas a simples idéia de ter um universo expandido e pronto para ser explorado inescrupulosamente sempre nos foi atrativo. Freelancer foi um jogo que, sinceramente, consumiu minha vida por um tempo. Culpa sua, que me apresentou ao mesmo.

Postar um comentário

 
Nuclear Core Studios © 2010 | Designed by Trucks, in collaboration with MW3, Broadway Tickets, and Distubed Tour. Customizado por Bruna Lanzillotta.