E3 2011: Legado de um passado distante e seus resultados

A Eletronic Entertainment Expo, E3 para os íntimos, aconteceu essa semana. Com todo esse fervor ao falar de uma ou outra conferência eu cheguei a algumas conclusões que compartilharei aqui.



Mais um ano se passou... mais uma E3 se passou.

A forma de expor informação na E3 vem de uma época quando a popularidade dos jogos eletrônicos crescia e não existia Internet para transmitir informação de forma tão rápida. Hoje em dia o público geral pode assistir às conferências de cada personagem da guerra dos consoles ao vivo de suas casas. O tamanho da E3 vem de uma época onde informar pessoas era mais difícil, quando mídias eram menores, quando um jornalista não podia baixar de sua casa o jogo para testar e escrever sobre. A velocidade da E3 é de uma época onde publicações impressas dominavam a entrega de informação e tinham tempo para editar o conteúdo. Hoje quase tudo que é exibido "exclusivamente" para jornalistas é mostrado também ao usuário através de algum dos sites de maior porte na área de forma que uma revista em papel jamais conseguirá exibir.

E mesmo com todas essas desatualizações a E3 ainda é o maior evento de entretenimento eletrônico do mundo. Mesmo com as restrições, mesmo com a defasagem no tempo. E o motivo para manter o topo é a magia por volta da E3. A E3 é o tipo de coisa que só funciona porque pessoas acreditam que ela funciona. As pessoas que acompanham a E3 vêem o evento como o ápice de um manifesto do fato de ser um jogador. Mas a informação mostrada durante a E3 está cada vez mais acessível mesmo antes da E3. É muito difícil restringir tal informação hoje em dia, simplesmente porque uma vez que a informação está na rede é quase impossível contê-la. Antigamente quando algo sobre um grande lançamento era descoberto era simplesmente "entulhado" em uma sessão de fofocas das revistas, meio desacreditadas por serem fofocas. E tal descrédito era estimulado pelas próprias direções das revistas para evitar que entrassem nas listas negras por vazar informação que não deveriam. Hoje em dia boatos ganham força pelas massas que divulgam essa informação indiscriminadamente e pouco se importam com a veracidade. Desde que a informação pareça verossímil vale tudo.

A verdade é que a importância da E3 ainda existe, mas simplesmente porque ainda existe apoio de grandes empresas para veicular os principais anúncios para o ano. Falando dos anúncios, vou aproveitar a oportunidade para ver o quão certo eu estava sobre minhas previsões:

Microsoft

Gears of War 3 deve aparecer, mas não muito (Acertei, tivemos uma apresentação de 10 minutos de uma missão do modo cooperativo). Depois do beta mês passado não tem muito do que se falar (por isso não falaram nada do multiplayer). Eu aposto minhas fichas em uma grande seleção de jogos para Kinect (acertei em cheio, mais da metade do tempo da conferência foi sobre o Kinect) e Windows Phone 7(em compensação errei feio sobre o WP7, o que me faz pensar sobre o futuro que aguarda o WP7), que são áreas onde a Microsoft está tentando crescer. Não sei se os jogos para Kinect serão "hardcore" (e a maioria deles não foi mesmo, mas alguns jogos hardcore estão tentando utilizar o Kinect) , mas com certeza apareceram em mais peso que jogos para o Xbox "seco". Algum jogo no universo Halo também será anunciado, seja ele um remake do Halo: Combat Evolved ou um novo jogo na série similar ao Halo: Reach (Acertei em partes. O remake foi anunciado, alem de uma nova trilogia continuando a saga do nosso herói Master Chief). Juntando as especulações eu diria que a 343 Industries, estúdio responsável pela série Halo agora, fará um remake de Halo para Kinect (Alguns podem sonhar, não podem? :-)). Fora isso algum serviço adicional será anunciado para a Xbox Live!, o qual não faço idéia do quê possa ser, mas é tradição da Microsft na E3. Mas provavelmente envolverá recursos que nós brasileiros não poderemos utilizar de qualquer forma, então para mim é indiferente. (Acertei sobre os recursos novos mas não soube dizer quais, Bing! e YouTube no Xbox 360, e nada foi dito sobre a disponibilidade no Brasil por enquanto, mas deve acontecer simultaneamente aqui e em terras estrangeiras.)

Nintendo


Não estou muito esperançoso com o "Project Cafe". Se a Nintendo seguiu a hype do "Project Natal" então eu sou obrigado a dizer que "Cafe" é a bebida. O que pode esse nome pode dizer é que teremos algo que estimule ainda mais a atividade com o corpo (Nintendo Kinect 2.0?), algo que te deixe elétrico e interessado. (Errei. Apesar do Wii U ter algumas caracteristicas de consoles portáteis e detecção de movimento da mesma forma que o Wii, ele não estimula tanto assim atividades físicas, mas permite a você, dependendo doo jogo, jogar sem ter uma televisão disponível) Quanto a lista de jogos eu não poderia estar mais desinformado. Desculpe-me mas a Nintendo seguiu uma trilha que não pretendo acompanhar com muito interesse.

Sony
 

Não vou copiar o texto aqui porque aquilo foi mais uma explicação do meu ódio pela Sony que previsões de verdade. Entretanto vale dizer que a Sony me surpreendeu muito com o Playstation. Dust 514 será lançado exclusivamente para o PS3. Não vou discutir muito sobre o PSVita porque realmente não estou muito interessado, mas acredito que pelo o quê eu vi ele está melhor que o 3DS.

Então acho que é isso. Espero vocês na E3 do ano que vem!

Atualização (20/06/2011): AHA! Minha bola de cristal não quebrou! Foi divulgado hoje que o remake de Halo para Xbox 360 terá sim suporte ao Kinect. Fonte: Gamasutra

0 comentários:

Postar um comentário

 
Nuclear Core Studios © 2010 | Designed by Trucks, in collaboration with MW3, Broadway Tickets, and Distubed Tour. Customizado por Bruna Lanzillotta.