As regras do jogo

Criar jogos não é simplesmente colocar um monte de objetos dentro de um programa e fazer eles interagirem de alguma forma. Criar bons jogos exige criar boas regras para que esses jogos façam sentido. A grande diferença entre jogos eletrônicos e outras mídias é a aplicação dessas regras. Vou falar de jogos eletrônicos aqui mas a verdade é que qualquer jogo, desde o futebol, passando pelo poker, até o xadrez tem regras que são aplicadas para determinar um resultado. Aqui estão algumas recomendações de como proceder ao criar um conjunto de regras que vai agradar um grande número de jogadores e proporcionar a esses jogadores ferramentas para se aprimorar.

1- Fáceis de aprender, dificeis de dominar

Regras tem que ser simples de ser transmitidas, assim reduzindo a barreira para se aprender a jogar aquele jogo, mas elas tem que interagir de forma a valorizar a experiência e reflexão do jogador. Por exemplo o xadrez, onde as regras podem ser resumidas assim: Posição inicial pré-determinada, cada jogador joga uma vez alternadamente, cada peça pode se mover de forma única, se uma peça terminar seu movimento sobre uma peça do adversário a peça sobreposta é removida de jogo, peças não podem "atravessar" outras peças e o jogo acaba quando um dos reis for removido do jogo. Seis regras relativamente simples, mas que interagem de forma complexa. Aprender a jogar xadrez não é difícil, mas se tornar um grande jogador é. O importante não são as regras em si, e sim como tratar cada movimento possível seguindo essas regras. Isso permite que o jogo seja jogado várias vezes mantendo o interesse dos jogadores em ficarem cada vez melhores.

2- Equilíbrio, ou aparência de equilíbrio

Os jogadores que jogam seu jogo tem que ter a impressão de que tudo que importa em um jogo é a habilidade deles no jogo. Dentro de suas regras não pode existir uma regra que supervaloriza uma ação específica, uma regra que faz com que as outras regras pareçam não importantes. Exemplo de tal regra seria o seguinte: Imagine que no xadrez a rainha pudesse ser eliminada apenas pelo rei. Isso tornaria a rainha completamente desequilibrada, automaticamente inutilizando todas as outras regras. O xadrez com suas regras valoriza de forma igual cada peça. E isso é reforçado pela quantidade dessas peças de cada tipo. Como a rainha é mais versátil, sendo assim mais difícil de ser encurralada, inicialmente temos apenas uma delas, enquanto temos oito peões, que são a segunda peça menos versátil e a menos importante, e duas peças de cada tipo restante, já que essas são relativamente versáteis se comparadas aos peões, entretanto limitadas em alguns aspectos, o que as tornam equilibradas entre elas.

A questão do equilíbrio é especialmente importante em jogos competitivos. Os jogadores estão quase sempre sujeitos as mesmas regras, como tamanho dos modelos, armas disponíveis e outros fatores, mas é importante evitar que certa arma ou certo ponto em um mapa sejam muito bons ou muito ruins. Quando o jogador pode escolher quais regras se aplicam a ele, por exemplo em um MMORPG ou jogos de estratégia com "raças" completamente diferentes em suas mecânicas básicas são particularmente difíceis de balancear.

A questão de aparência do equilíbrio é importante porque é impossível determinar se um jogo está equilibrado ou não para todas as situações, e jogadores se destacam por descobrir vulnerabilidades nas regras que as tornam desbalanceadas. Então a partir do momento que uma regra parece balanceada ela está balanceada. Desbalanceamentos apareceram de acordo com o tempo de vida do jogo, principalmente em jogos complexos como RTSs com comunidades com milhões de jogadores explorando cada situação possível.

3- Disfarçar repetições

Jogos tem uma natureza repetitiva, já que estes não tem regras realmente adaptáveis. Sendo assim as regras destes jogos devem ser variadas o suficiente para disfarçar a repetição constante da aplicação destas regras. No xadrez você sempre moverá as peças usando as mesmas regras, mas como existem diversas formas de interação entre as peças de acordo com seu posicionamento quase nenhum jogo será idêntico ao outro.

Em jogos eletrônicos isso pode ser feito de diversas maneiras, dependendo do jogo. Mas o importante é evitar a qualquer custo a sensação de que o jogador está fazendo exatamente a mesma coisa o tempo todo, por mais que no fim ele esteja fazendo exatamente a mesma coisa ao mesmo tempo. Expor as regras a situações únicas na frequência certa pode evitar essa sensação completamente. Mas pode existir um problema ao criar tantas situações únicas dependendo do tamanho do jogo. Um jogo memorável ao criar essas situações é o Starcraft 2 em sua campanha. Por toda sua extensão você está repetindo as mesmas ações (construir tropas, comandá-las e derrotar um inimigo) mas muitas vezes o inimigo a ser derrotado tem uma certa fraqueza a ser explorada. Outras vezes esse inimigo é um cronometro e outra inteligência artificial tentando te derrotar no meio do tempo. Isso tudo impede que o jogador realmente repare que as repetições de ações aconteçam.

Por enquanto acredito que sejam essas as dicas que posso dar. Se eu me lembrar de qualquer outra coisa providenciarei com que vocês saibam o mais rápido possível.

0 comentários:

Postar um comentário

 
Nuclear Core Studios © 2010 | Designed by Trucks, in collaboration with MW3, Broadway Tickets, and Distubed Tour. Customizado por Bruna Lanzillotta.